Mostra Literária 2019 – EFI

21/05/2019

1º Ano – Manhã

Produção e evento de abertura

  • Livro das Preferências
  • Livro As árvores mais incríveis do planeta
  • Roda de leitura, com os pais, dos livros produzidos pelos alunos

Atividades de socialização interna – GI a 5º ano

  • Apresentação do trabalho realizado (o que e como aprenderam), e leitura dos livros produzidos pelo grupo.

Professoras responsáveis: Luciana Justi e Silvia Yukimi

 

Livro das preferências

    O estudo e a elaboração do Livro das Preferências tiveram início com as rodas de conversa que fazíamos sobre o Rep. Lago, quando falamos sobre a importância de respeitarmos os comportamentos, segredos e o jeito de cada um. Além disso, sempre trazíamos para as conversas a concepção de que viajar junto é conhecer mais profundamente os colegas, e poder sentir que nossos parceiros podem ser nossos companheiros em momentos bons e também nos difíceis, como a saudade de casa ou quando dá medo de andar no banana boat.

    Fizemos com as crianças uma lista de perguntas sobre o que gostariam de saber sobre os colegas. No total, formulamos 36 questões, organizadas então em uma tabela que fomos diariamente preenchendo com as respostas, para assim conhecermos cada vez mais os gostos e as preferências de todos os colegas.

    Depois do registro de todas as perguntas, feito pelas professoras, as crianças escolheram dez para socializar em um livro individual, que seria escrito e ilustrado por elas.

    Este foi um livro muito divertido de ser feito, pois contou com muito envolvimento do grupo e cumpriu seu objetivo de atrair as crianças para se interessarem pela linguagem escrita e perceberem sua importância e uso. Além disso, ele serviu de base para trabalharmos valores muito apreciados por nós: o respeito pelas preferências de cada um e a apreciação das diferenças, pois acreditamos que é a partir deles que crescemos e nos desenvolvemos. Eles tornam o grupo mais eficaz e o cotidiano mais divertido.

img2 

As árvores mais incríveis do planeta

    Este livro é a compilação do projeto de pesquisa desenvolvido neste semestre pelo 1° ano, que começou com o interesse do grupo por árvores, pois várias haviam caído pelo bairro, em função das chuvas de verão. Nesse contexto, surgiu a seguinte questão: Por que as árvores caem? Era consensual, no grupo, a ideia de que as árvores haviam caído porque o vento as derrubara; mas por que teria derrubado algumas e não todas?

    O interesse pelas árvores no grupo foi tão grande que continuamos nossos estudos. Descobrimos e tabulamos a espécie considerada a maior árvore do mundo, a sequoia, que se tornou a querida e preferida do grupo. Todos querem conhecer uma de perto e se fascinaram por essa indescritível espécie ainda viva no mundo.

    Passamos pela menor espécie, pela considerada a mais velha e pelas árvores que dão frutos, baseadas na canção “Pomar”, da palavra cantada; e por árvores com grandes e pequenas folhas e qual a sua função.

    Foi um estudo com o qual os alunos se envolveram demais, e os registros demonstram esse afinco. O projeto estimulou também as crianças a elaborarem melhor seus desenhos, pois queriam representar os detalhes que tinham aprendido sobre as árvores, bem como a avançarem em suas hipóteses de escrita, pois queriam registrar com cuidado o conteúdo estudado, que foi se tornando cada vez mais precioso durante o semestre.

img1 

 

1º Ano – Tarde

Produção e evento de abertura

  • Livro Rimas que brincam
  • Roda de leitura, com os pais, do livro de rimas elaborado pelo grupo

Atividades de socialização interna – GI a 5º ano

  • Apresentação do trabalho realizado (o que e como aprenderam) e leitura do livro elaborado pelo grupo

Professoras responsáveis: Eliana Ponciano e Heloisa Cesar

 

Rimas que brincam

    O livro Rimas que brincam foi realizado a partir da leitura dos livros “Assim Assado”, “Não confunda” e “Você troca?”, de Eva Furnari.

    Propusemos algumas atividades que despertassem nas crianças o interesse por pensar em palavras que rimam, além de proporcionar brincadeiras com a sonoridade dessas palavras.

    Ao longo do trimestre, criamos uma coleção, registrando, em grupo, as palavras que fomos descobrindo nesse período e que rimavam. E, já familiarizadas com essas palavras, as crianças criaram, em duplas e com hipóteses silábicas diferentes, os textos para compor o livro.

    Rimas que brincam traz uma brincadeira com algumas rimas escolhidas pelo grupo e belíssimas ilustrações criadas pelas crianças.

3

 

2° Ano – Manhã

Produção e evento de abertura

  • Livro de bolso de trava-línguas
  • Exposição Bonecos Travadores
  • Exposição de Artes: Situação de leitura – esculturas em argila
  • Roda de leitura do livro de bolso de trava-línguas com os pais

Atividades de socialização interna – GI a 5º ano

  • Apresentação do trabalho realizado (o que e como aprenderam) e leitura do livro de bolso de trava-línguas.

Professores responsáveis: Esther Becker e Marília Villas | Artes: Maria da Penha Brant e Tomás Decina

 

Bonecos Travadores e Livro de bolso de trava-línguas

    Para essa exposição, os alunos do 2º ano-Manhã criaram um cenário reproduzindo o que acontece com as pessoas na hora da leitura dos trava-línguas.

    Esse trabalho é o resultado do estudo sobre trava-línguas, a partir da leitura do livro “Travadinhas”, de Eva Furnari.

    Depois de brincarem muito e rirem com o desafio de recitar trava-línguas de forma cada vez mais rápida e sem se enrolar, os alunos começaram a observar a sua estrutura, a semelhança entre a sonoridade e a forma de escrita de muitas palavras, além de sistematizar a formação de algumas sílabas compostas. Essa pesquisa possibilitou a eles ampliar seu conhecimento sobre nosso sistema de escrita, planejar, criar, revisar e ilustrar seus próprios trava-línguas.

    Para a produção do nosso cenário, os alunos confeccionaram seus bonecos e línguas gigantes que se enrolam ao pronunciar os trava-línguas. No encontro das línguas está localizada uma caixa misteriosa, que na verdade é um convite para que todos participem da leitura dos trava-línguas produzidos pelo grupo.

4 

Esculturas em argila de situações de leitura

    Mesmo que tivéssemos conversado em roda com os alunos sobre os lugares onde eles costumam ler e, quando cada um criou a sua escultura, tivesse aparecido cada um deles debruçado sobre os livros de muitas formas, o que importa aqui, nessa Mostra Literária, é para onde os livros os levam enquanto estão sentados nas cadeiras, na cama com seus bichos de pelúcia, deitados em suas beliches…

 

2° Ano – Tarde

Produção e evento de abertura

  • Livro O Duende Ruim de Trava-Línguas, reescrita baseada no livro “O Duende da Ponte”, de Patrícia Rae Wolff
  • Exposição de Artes: Situação de leitura – esculturas em argila
  • Roda de leitura do livro O Duende Ruim de Trava-Línguas com os pais

Atividades de socialização interna – GI a 5º ano

  • Apresentação do trabalho realizado (o que e como aprenderam) e leitura do livro produzido pelos alunos

Professores responsáveis: Camilla Guimarães e Juliana Garrido | Artes: Maria da Penha Brant e Tomás Decina

 

O Duende Ruim de Trava-Línguas

    O livro apresentado é o resultado da reescrita do conto “O Duende da Ponte”, de Patricia Rae Wolff, com uma transgressão em sua estrutura: a introdução de trava-línguas autorais no lugar do desafio proposto entre as personagens. A partir da leitura do livro “Travadinhas”, de Eva Furnari, que disparou, além da observação e da reflexão sobre nosso sistema de escrita, muitas brincadeiras e desafios com a linguagem oral, substituímos as adivinhas presentes na história do duende por trava-línguas autorais.

    Ao produzirem este livro, os alunos tiveram a oportunidade de refletir sobre importantes conteúdos da língua portuguesa, uma vez que reescrever é uma situação muito adequada para a aprendizagem da escrita e da língua em que se escreve.

    Para a produção do nosso livro, as crianças contaram com as professoras como escribas para o registro da primeira parte da história, criaram trava-línguas autorais e escreveram o final em dupla, produzindo assim doze diferentes versões para uma mesma história. Aprenderam ainda mais em atividades de revisão dos textos produzidos e elaboraram belas ilustrações.

5

 

Esculturas em argila de situações de leitura

    Mesmo que tivéssemos conversado em roda com os alunos sobre os lugares onde eles costumam ler e, quando cada um criou a sua escultura, tivesse aparecido cada um deles debruçado sobre os livros de muitas formas, o que importa aqui, nessa Mostra Literária, é para onde os livros os levam enquanto estão sentados nas cadeiras, na cama com seus bichos de pelúcia, deitados em suas beliches…

 

3° Ano – Manhã

Produção e evento de abertura

  • Livro de contos elaborados pelos alunos sobre os quatro elementos da natureza, inspirados em mitos e lendas indígenas
  • Exposição de Artes: Situação de leitura – esculturas em argila
  • Roda de leitura do livro de contos com os pais

Atividades de socialização interna – GI a 5º ano

  • Apresentação do trabalho realizado (o que, como e por que aprenderam) e leitura do livro de contos

Professores responsáveis: Anita Correa e Letícia Martins | Artes: Maria da Penha Brant e Tomás Decina

 

Contos sobre os quatro elementos

    Convidamos as alunas e os alunos a serem autores de explicações imaginadas para o surgimento de algo relacionado aos quatro elementos da natureza, tema de interesse da sala.

    Conhecemos a visão dos povos indígenas sobre o surgimento do sol, da lua e das estrelas por meio das suas lendas e dos mitos de criação. Em sala, fizemos a leitura do livro “A criação do mundo e outras lendas da Amazônia”, da escritora Vera do Val, e de muitas outras histórias!

    Ao longo do percurso de produção, os textos passaram por revisões e fomos dialogando com os autores para que aprendessem e refletissem sobre o uso da norma padrão na escrita, e para que aprimorassem a clareza do que queriam expressar.

    Agradecemos a todos os alunos do 3º ano-Manhã, pelas produções apresentadas nesse livro e por se envolverem com a escrita, e por aprenderem a respeitar, a cada dia, os nossos povos indígenas e suas sabedorias.

6

 

Esculturas em argila de situações de leitura

    Mesmo que tivéssemos conversado em roda com os alunos sobre os lugares onde eles costumam ler e, quando cada um criou a sua escultura, tivesse aparecido cada um deles debruçado sobre os livros de muitas formas, o que importa aqui, nessa Mostra Literária, é para onde os livros os levam enquanto estão sentados nas cadeiras, na cama com seus bichos de pelúcia, deitados em suas beliches…

 

3° Ano – Tarde

Produção e evento de abertura

  • Livro de contos elaborados pelos alunos sobre os quatro elementos da natureza, inspirados em mitos e lendas indígenas
  • Exposição de Artes: Situação de leitura – esculturas em argila
  • Roda de leitura de contos com os pais

Atividades de socialização interna – GI a 5º ano

  • Apresentação do trabalho realizado (o que, como e por que aprenderam) e leitura do livro de contos.

Professores responsáveis: Maria Lúcia Souza e Gabriela Laskievic | Artes: Maria da Penha Brant e Tomás Decina

 

A origem das forças da natureza: fogo, água e ar

    Os textos deste livro foram elaborados após a leitura, em sala, do livro “A criação do mundo e outras lendas da Amazônia”, da escritora Vera do Val, e de muitos outros mitos de criação e lendas indígenas brasileiras.

    Cada aluno foi convidado a escrever o seu próprio conto, considerando as características do gênero estudado.

    As produções escritas passaram por revisões de aspectos referentes à organização do discurso e à forma convencional de se grafar as palavras e pontuar os textos. Ao final, foi feita uma última revisão para a publicação, que buscou estabelecer um diálogo com os autores para que aprendessem e refletissem sobre o uso da norma padrão na escrita e para que aprimorassem a clareza daquilo que queriam expressar.

    Os contos resgatam todo o estudo realizado e demonstram o respeito por uma cultura tão diversa, mas tão importante para compreendermos nossas origens.

7

 

Esculturas em argila de situações de leitura

    Mesmo que tivéssemos conversado em roda com os alunos sobre os lugares onde eles costumam ler e, quando cada um criou a sua escultura, tivesse aparecido cada um deles debruçado sobre os livros de muitas formas, o que importa aqui, nessa Mostra Literária, é para onde os livros os levam enquanto estão sentados nas cadeiras, na cama com seus bichos de pelúcia, deitados em suas beliches…

 

4° Ano – Manhã e Tarde

Produção e evento de abertura

  • Livros ilustrados de fábulas elaboradas pelos alunos
  • Exposição de Artes: Situação de leitura – esculturas em argila
  • Roda de leitura das fábulas com os pais

Atividades de socialização interna – GI a 5º ano

  • Apresentação do trabalho realizado (o que, como, por que e qual a importância do que aprenderam) e leitura dos livros de fábulas

Professores responsáveis: Rosangela Pedroso, Bruna Giuliano, Daniela Amorim e Olívia Paradas | Artes: Maria da Penha Brant e Tomás Decina

 

A Árvore das Fábulas

    Para coroar um processo de muito estudo e aprendizado relativo à criação das fábulas, os alunos do 4º ano decidiram reproduzir uma cena de suas histórias como forma de apresentação do seu trabalho para a Mostra Literária.

    Para esta produção, cada aluno teve como desafio colocar em prática uma habilidade em especial que, inicialmente, muitos desconheciam em si mesmos: bordar. Com bastante dedicação e esforço, produziram desenhos dos animais das fábulas em tecidos e, depois de vários treinos de pontos de costura, bordaram suas ilustrações com capricho e zelo.

    Apresentam, assim, como cenário desta exposição, uma bela Árvore das Fábulas.

8

 

9

 

Esculturas em argila de situações de leitura

    Mesmo que tivéssemos conversado em roda com os alunos sobre os lugares onde eles costumam ler e, quando cada um criou a sua escultura, tivesse aparecido cada um deles debruçado sobre os livros de muitas formas, o que importa aqui, nessa Mostra Literária, é para onde os livros os levam enquanto estão sentados nas cadeiras, na cama com seus bichos de pelúcia, deitados em suas beliches…

 

5° Ano – Manhã e Tarde

Produção e evento de abertura

  • Jornal de notícias sobre o Acampamento elaboradas pelos alunos
  • Livros de crônicas produzidas pelos alunos
  • Exposição de Inglês: Entrevistas
  • Exposição de Artes: Situação de leitura – esculturas em argila
  • Roda de socialização do trabalho e de leitura do jornal com os pais

Atividades de socialização interna – GI a 5º ano

  • Apresentação do trabalho realizado (o que, como, por que e qual a importância do que aprenderam) e leitura do jornal.

Professores responsáveis: Valéria Rodrigo, Beatriz Lysei, Daniela Lacerda e Camila Rizzo | Inglês: Raphael Dória | Artes: Maria da Penha Brant e Tomás Decina

 

Extra! Extra!

Repúbllica Lago é notícia no jornal do 5º ano!

A redação de notícias

    O estudo de notícia, realizado a partir de uma sequência de atividades a partir de exercícios de leitura, interpretação e produção, propõe que os alunos observem tanto o conteúdo – acontecimentos novos, reais, importantes e/ou interessantes – como as características do gênero – os artifícios para atrair o leitor, o destaque às informações mais importantes e a tentativa de exatidão e neutralidade, entre outras.

    A leitura e discussão de notícias e de diferentes jornais deu início ao estudo. Os alunos compararam e analisaram a classificação dos diferentes assuntos que são noticiados tanto em jornais como em outros meios de comunicação, como rádio, televisão e revistas. Observaram e destacaram, nas notícias, as características da estrutura do texto e a ordem em que os fatos são registrados.

    A partir de um roteiro de produção e avaliação, os alunos exercitaram a escrita de algumas notícias. Por fim, escreveram as notícias para o jornal do 5º ano. Aprenderam a organizar as informações relevantes, assim como a utilizar elementos característicos desse gênero.

    O grupo é responsável pela produção escrita do jornal, que traz notícias de nossa estadia deste ano no Acampamento Repúbllica Lago.

10 

A escrita de crônicas

    A partir da leitura e interpretação de textos de autores como Carlos Drummond de Andrade, Fernando Sabino e outros, clássicos ou não, os alunos aprofundaram seu conhecimento sobre a crônica no contexto do trabalho com gêneros em Língua Portuguesa.

    O grupo foi então convidado a exercitar o papel de autor. Em sala, para incrementar a discussão e a própria produção, levantamos alguns temas, fizemos um banco de ideias e buscamos inspiração, a partir de leituras compartilhadas e dramatizadas.

    O estudo deste gênero envolveu etapas de discussão e produção, das quais todos os alunos participaram, desde a leitura e o processo de revisão, até a escrita da versão final. Além de dar contexto para a retomada e o exercício dos conteúdos de ortografia, acentuação, pontuação e gramática, a produção de crônicas proporcionou aos alunos ocasiões prazerosas de escrita autoral, dadas as características do gênero, como o tom de conversa na abordagem de assuntos do cotidiano.

    Neste ano, incluímos como etapa de estudo a discussão e aprofundamento a respeito do conceito de ironia e a sua importância neste tipo de texto. Os alunos foram desafiados a utilizar este recurso de linguagem para marcar passagens significativas do enredo e para enfatizar informações importantes, como o título e o final da história.

    Nesta exposição, apresentamos os exemplares dos livros produzidos pelas turmas da manhã e da tarde, compostos pelos textos elaborados e ilustrações produzidas ou escolhidas pelos próprios alunos-autores. Esperamos que apreciem a leitura e deem boas risadas com estes textos que, além de tudo o que já dissemos, expressam o olhar peculiar destes alunos sobre o mundo.

11

 

Entrevistas com transcrições das informações-chave

    Após assistirem a diversas entrevistas sobre informações pessoais de falantes nativos em vídeos, os alunos foram convidados a participar de situações desse gênero seguindo um roteiro de perguntas no papel de entrevistadores e entrevistados com um desafio a mais: transcrever a informação-chave das respostas dadas no ato da situação comunicativa.

    Após praticarem essa modalidade comunicativa entre si e com o Renato, da Secretaria, finalmente realizaram o projeto final da disciplina participando de rodas de entrevistas com pais de alunos da turma e a professora de inglês do Ensino Médio, Cristina.

    Os alunos foram assim desafiados a se comunicar em uma situação real, com todas as particularidades do gênero: introdução e encerramento, seleção da informação essencial, adequação do volume de voz e pronúncia, além, é claro, do desafio de lidarem com imprevistos, como terem de pedir em inglês para o entrevistado repetir as respostas ou soletrar as palavras mais difíceis, ou mesmo terem de responder a uma pergunta inesperada do entrevistado.

 

Esculturas em argila de situações de leitura

    Mesmo que tivéssemos conversado em roda com os alunos sobre os lugares onde eles costumam ler e, quando cada um criou a sua escultura, tivesse aparecido cada um deles debruçado sobre os livros de muitas formas, o que importa aqui, nessa Mostra Literária, é para onde os livros os levam enquanto estão sentados nas cadeiras, na cama com seus bichos de pelúcia, deitados em suas beliches…

 

Síntese dos trabalhos expostos

Educação Infantil

Ensino Fundamental I

Ensino Fundamental II

Resumo da programação do evento de abertura da Mostra Literária

 

Mostra Literária 2019 – EFI

21/05/2019

1º Ano – Manhã

Produção e evento de abertura

  • Livro das Preferências
  • Livro As árvores mais incríveis do planeta
  • Roda de leitura, com os pais, dos livros produzidos pelos alunos

Atividades de socialização interna – GI a 5º ano

  • Apresentação do trabalho realizado (o que e como aprenderam), e leitura dos livros produzidos pelo grupo.

Professoras responsáveis: Luciana Justi e Silvia Yukimi

 

Livro das preferências

    O estudo e a elaboração do Livro das Preferências tiveram início com as rodas de conversa que fazíamos sobre o Rep. Lago, quando falamos sobre a importância de respeitarmos os comportamentos, segredos e o jeito de cada um. Além disso, sempre trazíamos para as conversas a concepção de que viajar junto é conhecer mais profundamente os colegas, e poder sentir que nossos parceiros podem ser nossos companheiros em momentos bons e também nos difíceis, como a saudade de casa ou quando dá medo de andar no banana boat.

    Fizemos com as crianças uma lista de perguntas sobre o que gostariam de saber sobre os colegas. No total, formulamos 36 questões, organizadas então em uma tabela que fomos diariamente preenchendo com as respostas, para assim conhecermos cada vez mais os gostos e as preferências de todos os colegas.

    Depois do registro de todas as perguntas, feito pelas professoras, as crianças escolheram dez para socializar em um livro individual, que seria escrito e ilustrado por elas.

    Este foi um livro muito divertido de ser feito, pois contou com muito envolvimento do grupo e cumpriu seu objetivo de atrair as crianças para se interessarem pela linguagem escrita e perceberem sua importância e uso. Além disso, ele serviu de base para trabalharmos valores muito apreciados por nós: o respeito pelas preferências de cada um e a apreciação das diferenças, pois acreditamos que é a partir deles que crescemos e nos desenvolvemos. Eles tornam o grupo mais eficaz e o cotidiano mais divertido.

img2 

As árvores mais incríveis do planeta

    Este livro é a compilação do projeto de pesquisa desenvolvido neste semestre pelo 1° ano, que começou com o interesse do grupo por árvores, pois várias haviam caído pelo bairro, em função das chuvas de verão. Nesse contexto, surgiu a seguinte questão: Por que as árvores caem? Era consensual, no grupo, a ideia de que as árvores haviam caído porque o vento as derrubara; mas por que teria derrubado algumas e não todas?

    O interesse pelas árvores no grupo foi tão grande que continuamos nossos estudos. Descobrimos e tabulamos a espécie considerada a maior árvore do mundo, a sequoia, que se tornou a querida e preferida do grupo. Todos querem conhecer uma de perto e se fascinaram por essa indescritível espécie ainda viva no mundo.

    Passamos pela menor espécie, pela considerada a mais velha e pelas árvores que dão frutos, baseadas na canção “Pomar”, da palavra cantada; e por árvores com grandes e pequenas folhas e qual a sua função.

    Foi um estudo com o qual os alunos se envolveram demais, e os registros demonstram esse afinco. O projeto estimulou também as crianças a elaborarem melhor seus desenhos, pois queriam representar os detalhes que tinham aprendido sobre as árvores, bem como a avançarem em suas hipóteses de escrita, pois queriam registrar com cuidado o conteúdo estudado, que foi se tornando cada vez mais precioso durante o semestre.

img1 

 

1º Ano – Tarde

Produção e evento de abertura

  • Livro Rimas que brincam
  • Roda de leitura, com os pais, do livro de rimas elaborado pelo grupo

Atividades de socialização interna – GI a 5º ano

  • Apresentação do trabalho realizado (o que e como aprenderam) e leitura do livro elaborado pelo grupo

Professoras responsáveis: Eliana Ponciano e Heloisa Cesar

 

Rimas que brincam

    O livro Rimas que brincam foi realizado a partir da leitura dos livros “Assim Assado”, “Não confunda” e “Você troca?”, de Eva Furnari.

    Propusemos algumas atividades que despertassem nas crianças o interesse por pensar em palavras que rimam, além de proporcionar brincadeiras com a sonoridade dessas palavras.

    Ao longo do trimestre, criamos uma coleção, registrando, em grupo, as palavras que fomos descobrindo nesse período e que rimavam. E, já familiarizadas com essas palavras, as crianças criaram, em duplas e com hipóteses silábicas diferentes, os textos para compor o livro.

    Rimas que brincam traz uma brincadeira com algumas rimas escolhidas pelo grupo e belíssimas ilustrações criadas pelas crianças.

3

 

2° Ano – Manhã

Produção e evento de abertura

  • Livro de bolso de trava-línguas
  • Exposição Bonecos Travadores
  • Exposição de Artes: Situação de leitura – esculturas em argila
  • Roda de leitura do livro de bolso de trava-línguas com os pais

Atividades de socialização interna – GI a 5º ano

  • Apresentação do trabalho realizado (o que e como aprenderam) e leitura do livro de bolso de trava-línguas.

Professores responsáveis: Esther Becker e Marília Villas | Artes: Maria da Penha Brant e Tomás Decina

 

Bonecos Travadores e Livro de bolso de trava-línguas

    Para essa exposição, os alunos do 2º ano-Manhã criaram um cenário reproduzindo o que acontece com as pessoas na hora da leitura dos trava-línguas.

    Esse trabalho é o resultado do estudo sobre trava-línguas, a partir da leitura do livro “Travadinhas”, de Eva Furnari.

    Depois de brincarem muito e rirem com o desafio de recitar trava-línguas de forma cada vez mais rápida e sem se enrolar, os alunos começaram a observar a sua estrutura, a semelhança entre a sonoridade e a forma de escrita de muitas palavras, além de sistematizar a formação de algumas sílabas compostas. Essa pesquisa possibilitou a eles ampliar seu conhecimento sobre nosso sistema de escrita, planejar, criar, revisar e ilustrar seus próprios trava-línguas.

    Para a produção do nosso cenário, os alunos confeccionaram seus bonecos e línguas gigantes que se enrolam ao pronunciar os trava-línguas. No encontro das línguas está localizada uma caixa misteriosa, que na verdade é um convite para que todos participem da leitura dos trava-línguas produzidos pelo grupo.

4 

Esculturas em argila de situações de leitura

    Mesmo que tivéssemos conversado em roda com os alunos sobre os lugares onde eles costumam ler e, quando cada um criou a sua escultura, tivesse aparecido cada um deles debruçado sobre os livros de muitas formas, o que importa aqui, nessa Mostra Literária, é para onde os livros os levam enquanto estão sentados nas cadeiras, na cama com seus bichos de pelúcia, deitados em suas beliches…

 

2° Ano – Tarde

Produção e evento de abertura

  • Livro O Duende Ruim de Trava-Línguas, reescrita baseada no livro “O Duende da Ponte”, de Patrícia Rae Wolff
  • Exposição de Artes: Situação de leitura – esculturas em argila
  • Roda de leitura do livro O Duende Ruim de Trava-Línguas com os pais

Atividades de socialização interna – GI a 5º ano

  • Apresentação do trabalho realizado (o que e como aprenderam) e leitura do livro produzido pelos alunos

Professores responsáveis: Camilla Guimarães e Juliana Garrido | Artes: Maria da Penha Brant e Tomás Decina

 

O Duende Ruim de Trava-Línguas

    O livro apresentado é o resultado da reescrita do conto “O Duende da Ponte”, de Patricia Rae Wolff, com uma transgressão em sua estrutura: a introdução de trava-línguas autorais no lugar do desafio proposto entre as personagens. A partir da leitura do livro “Travadinhas”, de Eva Furnari, que disparou, além da observação e da reflexão sobre nosso sistema de escrita, muitas brincadeiras e desafios com a linguagem oral, substituímos as adivinhas presentes na história do duende por trava-línguas autorais.

    Ao produzirem este livro, os alunos tiveram a oportunidade de refletir sobre importantes conteúdos da língua portuguesa, uma vez que reescrever é uma situação muito adequada para a aprendizagem da escrita e da língua em que se escreve.

    Para a produção do nosso livro, as crianças contaram com as professoras como escribas para o registro da primeira parte da história, criaram trava-línguas autorais e escreveram o final em dupla, produzindo assim doze diferentes versões para uma mesma história. Aprenderam ainda mais em atividades de revisão dos textos produzidos e elaboraram belas ilustrações.

5

 

Esculturas em argila de situações de leitura

    Mesmo que tivéssemos conversado em roda com os alunos sobre os lugares onde eles costumam ler e, quando cada um criou a sua escultura, tivesse aparecido cada um deles debruçado sobre os livros de muitas formas, o que importa aqui, nessa Mostra Literária, é para onde os livros os levam enquanto estão sentados nas cadeiras, na cama com seus bichos de pelúcia, deitados em suas beliches…

 

3° Ano – Manhã

Produção e evento de abertura

  • Livro de contos elaborados pelos alunos sobre os quatro elementos da natureza, inspirados em mitos e lendas indígenas
  • Exposição de Artes: Situação de leitura – esculturas em argila
  • Roda de leitura do livro de contos com os pais

Atividades de socialização interna – GI a 5º ano

  • Apresentação do trabalho realizado (o que, como e por que aprenderam) e leitura do livro de contos

Professores responsáveis: Anita Correa e Letícia Martins | Artes: Maria da Penha Brant e Tomás Decina

 

Contos sobre os quatro elementos

    Convidamos as alunas e os alunos a serem autores de explicações imaginadas para o surgimento de algo relacionado aos quatro elementos da natureza, tema de interesse da sala.

    Conhecemos a visão dos povos indígenas sobre o surgimento do sol, da lua e das estrelas por meio das suas lendas e dos mitos de criação. Em sala, fizemos a leitura do livro “A criação do mundo e outras lendas da Amazônia”, da escritora Vera do Val, e de muitas outras histórias!

    Ao longo do percurso de produção, os textos passaram por revisões e fomos dialogando com os autores para que aprendessem e refletissem sobre o uso da norma padrão na escrita, e para que aprimorassem a clareza do que queriam expressar.

    Agradecemos a todos os alunos do 3º ano-Manhã, pelas produções apresentadas nesse livro e por se envolverem com a escrita, e por aprenderem a respeitar, a cada dia, os nossos povos indígenas e suas sabedorias.

6

 

Esculturas em argila de situações de leitura

    Mesmo que tivéssemos conversado em roda com os alunos sobre os lugares onde eles costumam ler e, quando cada um criou a sua escultura, tivesse aparecido cada um deles debruçado sobre os livros de muitas formas, o que importa aqui, nessa Mostra Literária, é para onde os livros os levam enquanto estão sentados nas cadeiras, na cama com seus bichos de pelúcia, deitados em suas beliches…

 

3° Ano – Tarde

Produção e evento de abertura

  • Livro de contos elaborados pelos alunos sobre os quatro elementos da natureza, inspirados em mitos e lendas indígenas
  • Exposição de Artes: Situação de leitura – esculturas em argila
  • Roda de leitura de contos com os pais

Atividades de socialização interna – GI a 5º ano

  • Apresentação do trabalho realizado (o que, como e por que aprenderam) e leitura do livro de contos.

Professores responsáveis: Maria Lúcia Souza e Gabriela Laskievic | Artes: Maria da Penha Brant e Tomás Decina

 

A origem das forças da natureza: fogo, água e ar

    Os textos deste livro foram elaborados após a leitura, em sala, do livro “A criação do mundo e outras lendas da Amazônia”, da escritora Vera do Val, e de muitos outros mitos de criação e lendas indígenas brasileiras.

    Cada aluno foi convidado a escrever o seu próprio conto, considerando as características do gênero estudado.

    As produções escritas passaram por revisões de aspectos referentes à organização do discurso e à forma convencional de se grafar as palavras e pontuar os textos. Ao final, foi feita uma última revisão para a publicação, que buscou estabelecer um diálogo com os autores para que aprendessem e refletissem sobre o uso da norma padrão na escrita e para que aprimorassem a clareza daquilo que queriam expressar.

    Os contos resgatam todo o estudo realizado e demonstram o respeito por uma cultura tão diversa, mas tão importante para compreendermos nossas origens.

7

 

Esculturas em argila de situações de leitura

    Mesmo que tivéssemos conversado em roda com os alunos sobre os lugares onde eles costumam ler e, quando cada um criou a sua escultura, tivesse aparecido cada um deles debruçado sobre os livros de muitas formas, o que importa aqui, nessa Mostra Literária, é para onde os livros os levam enquanto estão sentados nas cadeiras, na cama com seus bichos de pelúcia, deitados em suas beliches…

 

4° Ano – Manhã e Tarde

Produção e evento de abertura

  • Livros ilustrados de fábulas elaboradas pelos alunos
  • Exposição de Artes: Situação de leitura – esculturas em argila
  • Roda de leitura das fábulas com os pais

Atividades de socialização interna – GI a 5º ano

  • Apresentação do trabalho realizado (o que, como, por que e qual a importância do que aprenderam) e leitura dos livros de fábulas

Professores responsáveis: Rosangela Pedroso, Bruna Giuliano, Daniela Amorim e Olívia Paradas | Artes: Maria da Penha Brant e Tomás Decina

 

A Árvore das Fábulas

    Para coroar um processo de muito estudo e aprendizado relativo à criação das fábulas, os alunos do 4º ano decidiram reproduzir uma cena de suas histórias como forma de apresentação do seu trabalho para a Mostra Literária.

    Para esta produção, cada aluno teve como desafio colocar em prática uma habilidade em especial que, inicialmente, muitos desconheciam em si mesmos: bordar. Com bastante dedicação e esforço, produziram desenhos dos animais das fábulas em tecidos e, depois de vários treinos de pontos de costura, bordaram suas ilustrações com capricho e zelo.

    Apresentam, assim, como cenário desta exposição, uma bela Árvore das Fábulas.

8

 

9

 

Esculturas em argila de situações de leitura

    Mesmo que tivéssemos conversado em roda com os alunos sobre os lugares onde eles costumam ler e, quando cada um criou a sua escultura, tivesse aparecido cada um deles debruçado sobre os livros de muitas formas, o que importa aqui, nessa Mostra Literária, é para onde os livros os levam enquanto estão sentados nas cadeiras, na cama com seus bichos de pelúcia, deitados em suas beliches…

 

5° Ano – Manhã e Tarde

Produção e evento de abertura

  • Jornal de notícias sobre o Acampamento elaboradas pelos alunos
  • Livros de crônicas produzidas pelos alunos
  • Exposição de Inglês: Entrevistas
  • Exposição de Artes: Situação de leitura – esculturas em argila
  • Roda de socialização do trabalho e de leitura do jornal com os pais

Atividades de socialização interna – GI a 5º ano

  • Apresentação do trabalho realizado (o que, como, por que e qual a importância do que aprenderam) e leitura do jornal.

Professores responsáveis: Valéria Rodrigo, Beatriz Lysei, Daniela Lacerda e Camila Rizzo | Inglês: Raphael Dória | Artes: Maria da Penha Brant e Tomás Decina

 

Extra! Extra!

Repúbllica Lago é notícia no jornal do 5º ano!

A redação de notícias

    O estudo de notícia, realizado a partir de uma sequência de atividades a partir de exercícios de leitura, interpretação e produção, propõe que os alunos observem tanto o conteúdo – acontecimentos novos, reais, importantes e/ou interessantes – como as características do gênero – os artifícios para atrair o leitor, o destaque às informações mais importantes e a tentativa de exatidão e neutralidade, entre outras.

    A leitura e discussão de notícias e de diferentes jornais deu início ao estudo. Os alunos compararam e analisaram a classificação dos diferentes assuntos que são noticiados tanto em jornais como em outros meios de comunicação, como rádio, televisão e revistas. Observaram e destacaram, nas notícias, as características da estrutura do texto e a ordem em que os fatos são registrados.

    A partir de um roteiro de produção e avaliação, os alunos exercitaram a escrita de algumas notícias. Por fim, escreveram as notícias para o jornal do 5º ano. Aprenderam a organizar as informações relevantes, assim como a utilizar elementos característicos desse gênero.

    O grupo é responsável pela produção escrita do jornal, que traz notícias de nossa estadia deste ano no Acampamento Repúbllica Lago.

10 

A escrita de crônicas

    A partir da leitura e interpretação de textos de autores como Carlos Drummond de Andrade, Fernando Sabino e outros, clássicos ou não, os alunos aprofundaram seu conhecimento sobre a crônica no contexto do trabalho com gêneros em Língua Portuguesa.

    O grupo foi então convidado a exercitar o papel de autor. Em sala, para incrementar a discussão e a própria produção, levantamos alguns temas, fizemos um banco de ideias e buscamos inspiração, a partir de leituras compartilhadas e dramatizadas.

    O estudo deste gênero envolveu etapas de discussão e produção, das quais todos os alunos participaram, desde a leitura e o processo de revisão, até a escrita da versão final. Além de dar contexto para a retomada e o exercício dos conteúdos de ortografia, acentuação, pontuação e gramática, a produção de crônicas proporcionou aos alunos ocasiões prazerosas de escrita autoral, dadas as características do gênero, como o tom de conversa na abordagem de assuntos do cotidiano.

    Neste ano, incluímos como etapa de estudo a discussão e aprofundamento a respeito do conceito de ironia e a sua importância neste tipo de texto. Os alunos foram desafiados a utilizar este recurso de linguagem para marcar passagens significativas do enredo e para enfatizar informações importantes, como o título e o final da história.

    Nesta exposição, apresentamos os exemplares dos livros produzidos pelas turmas da manhã e da tarde, compostos pelos textos elaborados e ilustrações produzidas ou escolhidas pelos próprios alunos-autores. Esperamos que apreciem a leitura e deem boas risadas com estes textos que, além de tudo o que já dissemos, expressam o olhar peculiar destes alunos sobre o mundo.

11

 

Entrevistas com transcrições das informações-chave

    Após assistirem a diversas entrevistas sobre informações pessoais de falantes nativos em vídeos, os alunos foram convidados a participar de situações desse gênero seguindo um roteiro de perguntas no papel de entrevistadores e entrevistados com um desafio a mais: transcrever a informação-chave das respostas dadas no ato da situação comunicativa.

    Após praticarem essa modalidade comunicativa entre si e com o Renato, da Secretaria, finalmente realizaram o projeto final da disciplina participando de rodas de entrevistas com pais de alunos da turma e a professora de inglês do Ensino Médio, Cristina.

    Os alunos foram assim desafiados a se comunicar em uma situação real, com todas as particularidades do gênero: introdução e encerramento, seleção da informação essencial, adequação do volume de voz e pronúncia, além, é claro, do desafio de lidarem com imprevistos, como terem de pedir em inglês para o entrevistado repetir as respostas ou soletrar as palavras mais difíceis, ou mesmo terem de responder a uma pergunta inesperada do entrevistado.

 

Esculturas em argila de situações de leitura

    Mesmo que tivéssemos conversado em roda com os alunos sobre os lugares onde eles costumam ler e, quando cada um criou a sua escultura, tivesse aparecido cada um deles debruçado sobre os livros de muitas formas, o que importa aqui, nessa Mostra Literária, é para onde os livros os levam enquanto estão sentados nas cadeiras, na cama com seus bichos de pelúcia, deitados em suas beliches…

 

Síntese dos trabalhos expostos

Educação Infantil

Ensino Fundamental I

Ensino Fundamental II

Resumo da programação do evento de abertura da Mostra Literária

 

Rua São Vicente de Paulo, 374
Higienópolis, São Paulo - SP

(11) 3662 - 6500

(11) 3579 - 9150

(11) 97374 – 8388

equipe@colegioequipe.g12.br

© Colégio Equipe - 2020

Rua São Vicente de Paulo, 374
Higienópolis, São Paulo - SP

(11) 3662 - 6500

(11) 3579 - 9150

(11) 97374 – 8388

equipe@colegioequipe.g12.br

© Colégio Equipe - 2020